A (in) eficiência da alocação orçamentária no sistema prisional: consequências materiais e humanas

Dani Rudnicki, Ana Paula Motta Costa, Daniella F Bitencourt

Resumo


O presente artigo procura compreender se em termos orçamentários o sistema prisional é ou não eficaz. Um estudo neste sentido é de fundamental importância para boas práticas penais uma vez que, investimentos eficientes pressupõe a percepção das deficiências que se pretende sanar. Para tanto, primeiramente procura-se elucidar os mecanismos do orçamento público bem como, algumas particularidades referentes a sua não vinculatividade e discricionariedade. Num segundo momento, passa-se a um breve histórico sobre o orçamento público nas políticas de segurança pública, culminando com o sistema prisional, pontuando, especialmente, a sistemática do Fundo Penitenciário Nacional e a questão do seu contingenciamento. Para a realização do trabalho desenvolve-se uma investigação doutrinária acerca do orçamento e sistema prisional, emprega-se o método dedutivo, a pesquisa qualitativa de caráter descritivo e exploratório e também a análise documental dos índices apresentados pelo governo em âmbito nacional. Assim, será possível cumprir o objetivo central do estudo que é apontar se monetariamente o sistema prisional é viável esclarecendo, em valores, nosso atual estado da arte. Concluímos que gastos públicos e política de aprisionamento não tem simetria, o aprisionamento é ineficaz no combate à criminalidade e inviável em termos de custo Estatal.

Palavras-chave


orçamento público; sistema prisional; direitos humanos; Fundo Penitenciário Nacional; Política Pública

Texto completo:

PDF

Referências


ÁVILA, Ana Paula O.; BITENCOURT, Daniella. A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal sobre o controle judicial do orçamento público e a proteção dos direitos humanos. Revista Brasileira de Filosofia do Direito. Brasília. V. 3, n. 1, p. 18 – 38, 2017. Disponível em: http://www.indexlaw.org/index.php/filosofiadireito/article/view/1899. Acesso em: 24 nov. 2018.

BALEEIRO, Aliomar. Uma Introdução à ciência das Finanças. 16ª Ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

BANCO MUNDIAL. Relatório Um Ajuste Justo - Análise da Eficiência e Equidade do Gasto Público no Brasil, 21 novembro de 2017. Disponível em: http://www.worldbank.org/pt/country/brazil/publication/brazil-expenditure-review-report. Acesso em: 30 abr.2018.

BRASIL. Decreto Lei 3.689, de 3 de outubro de 1941. Código de Processo Penal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del3689.htm. Acesso em: 5 fev.2018.

BRASIL. Decreto Lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del2848compilado.htm. Acesso em: 5 fev. 2018.

BRASIL. Emenda Constitucional EC n. 86, de 17 de março de 2015. Altera os artigos 165, 166 e 198 da Constituição Federal, para tornar obrigatória a execução da programação orçamentária que especifica. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc86.htm. Acesso em: 17 fev.2018.

BRASIL. Lei 13.714, de 22 de fevereiro de 2017. Lei que institui o Fundo Penitenciário do Estado da Bahia - FUNPEN/BA, no âmbito da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização – SEAP. Disponível em: http://www.leisestaduais.com.br/ba/lei-ordinaria-n-13714-2017-bahia-institui-o-fundo-penitenciario-do-estado-da-bahia-funpen-ba-no-ambito-da-secretaria-de-administracao-penitenciaria-e-ressocializacao-seap-e-da-outras-providencias. Acesso em:18 fev.2018.

BRASIL. Lei 16.200, de 24 de fevereiro de 2017. Lei que institui o Fundo Penitenciário do Estado do Ceará - FUNPEN/CE. Disponível em: https://belt.al.ce.gov.br/index.php/legislacao-do-ceara/organizacao-tematica/fiscalizacao-e-controle/itemlist/tag/LEI%20N%C2%BA%2016200,%20DE%20230217%20(DO240217). Acesso em: 18 fev./2018.

BRASIL. Lei Complementar n. 79, de 7 de janeiro de 1994. Cria o Fundo Penitenciário Nacional - FUNPEN, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LCP/Lcp79.htm. Acesso em: 17 fev.2018.

BRASIL. Lei n. 13.500, de 26 de outubro de 2017. Altera a Lei Complementar no 79, de 7 de janeiro de 1994, para dispor sobre a transferência de recursos financeiros do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), a Lei no 11.473, de 10 de maio de 2007, para permitir a prestação de serviços, em caráter excepcional e voluntário, à Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), na qual se inclui a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), e as Leis nos 8.666, de 21 de junho de 1993, e 10.826, de 22 de dezembro de 2003; e revoga a Medida Provisória no 755, de 19 de dezembro de 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13500.htm. Acesso em: 17 fev.2018.

BRASIL. Lei n. 7.210, de 11 de julho de 1984. Lei da Execução Penal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7210.htm . Acesso em 5 fev./2018.

BRASIL. Medida Provisória n. 755, de 19 de dezembro de 2016. Pretendia alterar a Lei Complementar n. 79/94. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/Mpv/mpv755.htm. Acesso em: 17 fev. 2018.

BRASIL. Medida Provisória n. 781, de 23 de maior de 2017. Pretendia alterar a Lei Complementar n. 79/94. Disponível em: https://www.congressonacional.leg.br/materias/medidas-provisorias/-/mpv/129275. Acesso em: 17 fev. 2018.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal - STF, Ação Direta de Inconstitucionalidade - ADI 4.048. Requerentes: Partido da Social Democracia Brasileira - PSDB, Intimado: Presidente da República. Min. Ellen Gracie Relatora. Liminar objeto do debate julgada pelo Pleno em: 14.05.2008, publicação ocorrida em: 23.05.2008, DJE n. 93. Mérito julgado em 17.02.2011, publicado em 21.02.2011 DJE n. 35.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental – ADPF 347. Requerente: Partido Socialista e Liberdade – PSOL, intimados: União e Estados. A cautelar foi julgada parcialmente procedente, decisão publicada em 19 fev./2016 DJE 13/2016. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?incidente=4783560 . Acesso em: 5 fev./2018.

BRASIL. Lei n. 16.083, de 28 de dezembro de 2015, LOA/SP de 2016. Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2015/lei-16083-28.12.2015.pdf. Acesso em: 30 abr.2018.

BRASIL. Lei n. 21.971, de 18 de janeiro de 2016, LOA/MG de 2016. Disponível em: www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa-nova-min.html?tipo=LEI&num=21971&comp=&ano=2016&texto=original. Acesso em: 30 abr.2018

BUENO, Samira. O Papel da União no Financiamento das Políticas de Segurança Pública. Repositório do Conhecimento do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA). Brasília, p. 61-67, 2017. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8076/1/BAPI_n11_Papel.pdf. Acesso em: 26 nov. 2018.

CALIL, Vera. Orçamento Público, teoria e prática. Rio de Janeiro: Alta Books, 2017.

CASTRO, Bruno Ronchetti de. Relatório de Gestão Supervisão do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas – Dmf. Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Brasília: CNJ, 2017. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/files/conteudo/arquivo/2017/04/23902dd211995b2bcba8d4c3864c82e2.pdf, acesso em: 20 fev.2018.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ). Informativo Rede Justiça Criminal. Quais são os Números da Justiça Criminal no Brasil. Número 8, Brasília, 2016. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/files/conteudo/arquivo/2016/02/b948337bc7690673a39cb5cdb10994f8.pdf , acesso em 30 dez.2017.

CONTAS ABERTAS AGÊNCIA. Governo fecha ano com R$ 2,3 bilhões para presídios parados. Brasília, 12 jan.2018. Disponível em: http://www.agenciacontasabertas.com.br/noticia/governo-fecha-ano-com-r-23-bilhoes-para-presidios-parados, acesso em 14 jun./2018.

DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL – DEPEN. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. Jun.2016. Brasília-DF. Disponível em: http://www.justica.gov.br/news/ha-726-712-pessoas-presas-no-brasil/relatorio_2016_junho.pdf. Acesso em: 5 fev.2018. Acesso em: 26 nov. 2018.

DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL – DEPEN. Ministério da Justiça. Relatório de Gestão do exercício de 2016. Fundo Penitenciário Nacional e CEF/DEPEN, Brasília, Mar.2017. Disponível em: http://www.justica.gov.br/Acesso/auditorias/arquivos_auditoria/departamento-penitenciario-nacional/depen_2016-relatoriogestao-1.pdf. Acesso em: 30 abr.2018.

DUARTE, Julia Karolline Vieira e DUARTE, Julio Gomes Neto. O Fundo Penitenciário Nacional: a liberação dos recursos como garantia à dignidade da pessoa humana. ENPEJUD Encontro de Pesquisas Jurídicas. Alagoas, p. 568-578, 2017. Disponível em: file:///C:/Users/danie/Desktop/VIOL%C3%8ANCIA%20E%20CRIMINALIDADE/FUNPEN%20DUARTE%20E%20NETO.pdf. Acesso em: 17 fev.2018.

FARIELLO, Luiza e ANDRADE, Paula. Crise carcerária: Goiás mostra medidas para cumprir exigências de Cármen Lúcia. Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Brasília, 31 jan.2018. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/86091-crise-carceraria-goias-diz-o-que-faz-para-atender-exigencias-de-carmen-lucia , acesso em: 20 fev.2018.

Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV-DAPP). Mosaico orçamentário. Rio de Janeiro, atualizado em 8 de abr./2018. Disponível em: http://dapp.fgv.br/transparencia-orcamentaria/mosaico/. Acesso em: 24 abr.2018

FLACH, Norberto. Prisão Processual Penal: Discussão à Luz dos Princípios Constitucionais da Proporcionalidade e da Segurança Jurídica. 1ª Ed. Rio de Janeiro: Forense, 2000.

FREITAS, Juarez. O Controle dos Atos Administrativos e os princípios fundamentais. 3ª Ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

Grupo de Estudos Carcerários Aplicados da Universidade de São Paulo (GECAP USP). Custos da prisionalização - 7 informações básicas sobre encarceramento, 2012. Disponível em: http://www.gecap.direitorp.usp.br/index.php/noticias/44-custos-da-prisionalizacao-7-informacoes-basicas-sobre-encarceramento. Acesso em: 17 fev.2018.

GIACOMINI, James. Orçamento Público. 14º Edi. Editora Atlas, São Paulo, 2009.

GOMES, Geder Luiz Rocha. (MAIA, Rodrigo – Presidente). Relatório Final da CPI do Sistema Carcerário Brasileiro. Câmara dos Deputados: Brasília, 2017. Disponível em: file:///C:/Users/danie/Desktop/VIOL%C3%8ANCIA%20E%20CRIMINALIDADE/cpi_sistema_carcerario%202017.pdf. Acesso em: 18 fev.2018.

GONTIJO, Vander. Orçamento impositivo, contingenciamento e transparência. Cadernos Aslegis. Brasília, n. 39, p. 61-72, jan./abr. 2010. Disponível em: http://bd.camara.leg.br/bd/handle/bdcamara/11312. Acesso em 24 abr.2018.

HORVATH, Estevão. Poder Executivo e o Orçamento Público. LEITE, George Salomão, STRECK, Lenio e NERY, Nelson Jr. (Coord.). Crise dos Poderes da República, judiciário, legislativo e executivo. Revista dos Tribunais: São Paulo, 2017.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estimativas Populacionais. Divulgada em 31 de agosto de 2017. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2013-agencia-de-noticias/releases/16131-ibge-divulga-as-estimativas-populacionais-dos-municipios-para-2017.html. Acesso em 30 abr.2018.

JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA (portal). Balanço Funpen 2017. Governo Federal, Brasília/DF, 2017. Disponível em: http://www.justica.gov.br/news/governo-distribui-r-590-milhoes-para-estados/balanco_fupen17-1.pdf/view, acesso em 20 fev./2018.

JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA (portal). Funpen origem, finalidade e números. Governo Federal, Brasília/DF, disponível em: http://www.justica.gov.br/seus-direitos/politica-penal/transparencia-institucional/funpen-origem , acesso em 17 fev./2018.

KOPITTKE, Alberto; A (IN)CAPACIDADE INSTITUCIONAL DO GOVERNO FEDERAL NA SEGURANÇA PÚBLICA, in FIGUEIREDO, Isabel; SANTOS, José Vicente Tavares dos; BUENO, Samira; OLIVEIRA JR. CERQUEIRA, Daniel; SILVA, Fabio de Sá e; LIMA, Renato de Sergio de; MUSUMECI, Leonarda; LEMGRUBER, Julita; Arthur Trindade M. Costa Almir de e FERREIRA, Helder. Atlas da Violência, Política Nacional de Segurança Pública Orientada para a Efetividade e o Papel da Secretaria Nacional de Segurança Pública. Brasília, IPEA, 2017. Disponível em: http://ipea.gov.br/agencia/images/20170712_atlas-violencia2.pdf. Acesso em: 2 out. 2018.

LEITE, Harrison Ferreira. Autoridade da lei orçamentária. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2011.

LEWANDOWSKI, Ricardo. Audiência de Custódia. CNJ, Brasília, 2016, disponível em: http://www.cnj.jus.br/files/conteudo/arquivo/2016/09/0a99a0ab0eb26b96fdeaf529f0dec09b.pdf. Acesso em: 19 fev.2018.

MAIA, Rodrigo. Relatório Final da CPI do Sistema Carcerário Brasileiro. Câmara dos Deputados, Brasília, 2017. Disponível em: file:///C:/Users/danie/Desktop/VIOL%C3%8ANCIA%20E%20CRIMINALIDADE/cpi_sistema_carcerario%202017.pdf , acesso em: 18 fev.2018.

MANUAL TÉCNICO DO ORÇAMENTO FEDERAL. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Secretaria de Orçamento Federal. 4ª Ed. 162 p. Brasília, 2018. Disponível em: http://www.planejamento.gov.br/assuntos/orcamento-1/informacoes-orcamentarias/arquivos/MTOs/mto_atual.pdf. Acesso em: 30 abr.2018

MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Discricionariedade e controle jurisdicional. 2ª ed. São Paulo: Malheiros, 2000.

MENDONÇA, Eduardo Bastos Furtado de. A Constitucionalização das Finanças Públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Renovar, 2010.

MENDONÇA, Fabiano André de Souza. Hermenêutica Constitucional da Ordem Econômica Regulatória: princípios. Revista ESMARN, Escola da Magistratura do Rio Grande do Norte, Vol. 7, n. 1, p. 1-23. Natal, 2008. Disponível em: file:///C:/Users/danie/Desktop/52-206-1-PB.pdf. Acesso em: 17 fev./2018.

MENEZES, Dyelle. Repasses para construção, reforma e ampliação de presídios cai 30% em 2015. Organização Contas Abertas. Brasília, 2015. Disponível em: www.contasabertas.com.br/website/arquivos/11398. Acesso em: 18 fev.2018.

MINAS GERAIS. Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Solicitação de informações do quanto o Estado investiu no sistema prisional em 2016. Mensagem recebida pelo e-mail cac@almg.gov.br, em 4 abr./2018

MINISTERIO DA JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA. Desburocratização e melhor aplicabilidade dos recursos do FUNPEN. Brasília, 13 mar./20187. Disponível em: http://www.justica.gov.br/seus-direitos/elaboracao-legislativa/redacao/secretaria-trabalhou-na-desburocratizacao-e-melhor-aplicabilidade-dos-recursos-do-funpen . Acesso em: 5 fev.2018.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL DO MATO GROSSO DO SUL. Procuradoria da República do Mato Grosso do Sul. Ação Civil Pública. ALMEIDA, Ramiro Rockenbach da Silva Matos Teixeira de. Procurador da República. Campo Grande/MS, 2011. Disponível em: http://www.prms.mpf.mp.br/servicos/sala-de-imprensa/arquivo/2011/ACP_Corrupcao_%20PenitenciariaFederal.pdf. Acesso em: 20 fev.2018.

MINISTÉRIO PÚBLICO. Visão do Ministério Público sobre o sistema prisional brasileiro – 2016. Conselho Nacional do Ministério Público, Brasília, 2016. Disponível em: http://www.cnmp.mp.br/portal/images/Publicacoes/documentos/2016/Livro_sistema_prisional_web_7_12_2016.pdf. Acesso em: 23 abr.2018.

MONTEIRO, Isaias. Menos de 1% dos presídios é excelente. CNJ. 6 junh./2017. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/84896-juizes-dizem-que-menos-de-1-dos-presidios-e-excelente-2. Acesso em: 20 fev./2018.

NASCIMENTO, Carlos Valder de. Lei Complementar n. 101, de 4 de maio de 2000, arts. 1º a 17. In MARTINS, Ives Gandra da Silva e NASCIMENTO, Carlos Valder de (Org.). Lei de Responsabilidade Fiscal. 3ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

OLIVEIRA, Cláudio Ladeira de e FERREIRA, Francisco Gilney Bezerra de Carvalho. O Orçamento Público no Estado Constitucional Democrático e a Deficiência Crônica na Gestão das Finanças Públicas no Brasil. Sequência. Florianópolis, n. 76, p. 183-212, ago. 2017, disponível em: http://www.scielo.br/pdf/seq/n76/2177-7055-seq-76-00183.pdf. Acesso em: 12 de out/17.

PORTAL DA TRANSPARÊNCIA. Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União. Glossário, Brasília. Disponível em: http://www.portaltransparencia.gov.br/glossario/DetalheGlossario.asp?letra=d, acesso em: 24 abr.2018

PORTAL DA TRANSPARÊNCIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Gastos por Programa. Poder Executivo. Administração e Modernização do Sistema Prisional. Disponível em: http://www.portaldatransparencia.rs.gov.br/webpart/system/ConsultaDadosFiltro.aspx?x=lOpor7XC1%2fBTsxX0qEheSR2M%2fTHfrOu9ErgpOK%2b0mdc%3d Acesso em: 20 mar.2018.

PINTO, Elida Graziane. Eficácia dos Direitos Sociais por Meio do Controle Judicial da Legalidade Orçamentária e da sua Adequada Execução. Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional e Escola Superior do Ministério Público de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: http://esmp.sp.gov.br/Eventos_Pontuais/Eventos_Material_Apoio/MA_ENCONTRO_Orcamento_ESMP_ELIDA_G_PINTO.pdf, acesso em: 18 fev./2018.

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA EXECUÇÃO DE PROGRAMA DE GOVERNO Nº 67 Programa Nacional de Apoio ao Sistema Prisional (PNASP). Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle Secretaria Federal de Controle Interno (CGU), Brasília, 2017. Disponível em: https://auditoria.cgu.gov.br/download/9687.pdf. Acesso em: 1 mai.2018

RELATÓRIO DE CONJUNTURA N. 4. Custos Econômicos da Criminalidade no Brasil. Brasília: Imprensa Nacional, 2018. Disponível em: http://www.secretariageral.gov.br/estrutura/secretaria_de_assuntos_estrategicos/publicacoes-e-analise/relatorios-de-conjuntura/custos_economicos_criminalidade_brasil.pdf, acesso em: 27 jun./2018.

SÃO PAULO. Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Informações sobre os valores previstos para o sistema prisional em 2016. Mensagem recebida por e-mail pesquisajuridica@al.sp.gov.br em 23 abr./2018

SISTEMA DE ACESSO A INFORMAÇÃO. Controladoria Geral da União. Informações sobre os valores previstos para o sistema prisional em 2016. Mensagem recebida por e-mail nao-responder.esic@cgu.gov.br

em 16 abr./2018.

TORRES, Ricardo Logo. Tratado de Direito Constitucional Financeiro e Tributário. Volume V. O Orçamento na Constituição Federal. Rio de Janeiro: Renovar, 2000.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU). Realidade Prisional: auditoria mostra que o custo mensal do preso é desconhecido em vários Estados (Acórdão n. 2643/2017). Dez.2017. Disponível em: http://portal.tcu.gov.br/imprensa/noticias/realidade-prisional-auditoria-mostra-que-o-custo-mensal-do-preso-e-desconhecido-em-varios-estados.htm. Acesso em 18 jan.2018.

VITTO, Renato Campos Pinto de. Palestra Política Nacional de Alternativas Penais, realizada no 2º Fórum Nacional de Alternativas Penais (Fonape), promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Salvador/BA em fev./2016. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/81755-encarceramento-nao-reduz-criminalidade-diz-diretor-geral-do-depen. Acesso em: 19 fev./2018.




DOI: https://doi.org/10.17808/des.0.1165

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons

All work published in Revista Direito, Estado e Sociedade are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.


ISSN-L: 1516-6104.

Classification in WebQualis: A1 - DIREITO.

Access our Facebook page by clicking here.

 


Indexadores:

 
Crossref logo