Marco civil da internet e direito à privacidade na sociedade da informação

Irineu Francisco Barreto Junior, Fábio Gallinaro, Vinícius Garcia Ribeiro Sampaio

Resumo


Este artigo analisa a necessária adequação paradigmática do direito fundamental à privacidade, perante os avanços tecnológicos oriundos da Sociedade da Informação. A pesquisa normativa e doutrinária contextualiza o assunto para analisar aspectos deste novo momento, especialmente os conflitos entre os direitos fundamentais à privacidade, intimidade e liberdade de expressão. O Marco Civil da Internet é analisado no artigo, com o intuito de apurar seus possíveis reflexos e alcance. Os Obstáculos para a efetiva garantia do direito à privacidade tendem a aumentar com a crescente expansão das redes sociais, bem como se elevam os conflitos entre direitos e garantias fundamentais. O artigo conclui que é inegável a necessidade do estabelecimento de princípios normativos para a proteção da privacidade, dignidade e, por reflexo, dos efeitos da superexposição de dados pessoais que resultam da utilização da Internet. Antes do estabelecimento de consensos e da conscientização dos usuários quanto ao uso adequado da rede, o Marco Civil adquire primordial relevância, significado e aplicação na mitigação dos conflitos advindos da sociabilidade humana em meio digital.


Palavras-chave


Sociedade da Informação; Marco Civil da Internet; Direitos Fundamentais; Privacidade; Liberdade de Expressão

Referências


BARRETO JR., Irineu Francisco. Dignidade da Pessoa Humana na Sociedade da Informação. In: SIMÃO FILHO, Adalberto et al (org e coord). Direito da Sociedade da Informação: Temas Jurídicos Relevantes. São Paulo: Quartier Latin, 2012.

_______. Proteção da Privacidade e de Dados Pessoais na Internet: O Marco Civil da rede examinado com fundamento nas teorias de Zygmunt Bauman e Manuel Castells.. In: DE LUCCA, Newton; SIMÃO FILHO; Adalberto; DE LIMA; Cintia Rosa Pereira. (Org.). Direito & Internet III: Marco Civil da Internet. 1ed.São Paulo: Quartier Latin, 2015, v. 2, p. 100-127.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

CASTELLS, Manuel. The Rise of the Network Society. 2 ed. Reino Unido: Wiley-Blackwell, 2010.

FERRAZ JR., Tércio Sampaio. Sigilo de dados: o direito à privacidade e os limites à função fiscalizadora do Estado. Cadernos de Direito Constitucional e Ciência Política. São Paulo: RT, nº 01, 1993, p. 439-459.

FRONTEIRAS DO PENSAMENTO. Zygmunt Bauman – Fronteiras do Pensamento. 10 ago. 2011. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=POZcBNo-D4A. Acesso em 28 out. 2016, às 15:12.

G1. Hackers invadem site do Pentágono e roubam projeto de avião de U$ 300 bi. São Paulo, 21 abr 2009. Disponível em: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL1092884-6174,00-HACKERS+INVADEM+SITE+DO+PENTAGONO+E+ROUBAM+PROJETO+DE+AVIAO+DE+US+BI.html. Acesso em 23 out 2015.

GUERRA FILHO, Willis Santiago; CARNIO, Henrique Gaberllini. Metodologia Jurídica Político-Constitucional e o Marco Civil da Internet: Contribuição ao Direito Digital. In: MASSO, Fabiano Del; ABRUSIO, Juliana; FLORÊNCIO FILHO, Marco Aurélio (coord). Marco Civil da Internet: Lei 12965 / 2014. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

LIMA, Marco Antonio de; BARRETO JUNIOR, Irineu Francisco. Marco Civil da Internet: Limites da previsão legal de consentimento expresso e inequívoco como proteção jurídica dos dados pessoais na Internet. In: CONPEDI (org); FREITAS, C. O. A.; CELLA, J. R. G. (coord). Direito, Governança e Novas Tecnologias. Florianópolis: Conpedi, 2016.

MENDES, Gilmar Ferreira; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 9 ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional. 6 ed. São Paulo: Atlas. 1999.

PAESANI, Liliana Minardi. Direito e internet: liberdade de informação, privacidade e responsabilidade civil. 7. Ed. São Paulo: Atlas, 2014.

PAGNAN, Rogério. Metade do país acha que ‘bandido bom é bandido morto’, aponta pesquisa. Folha: São Paulo, 5 out 2015. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/10/1690176-metade-do-pais-acha-que-bandido-bom-e-bandido-morto-aponta-pesquisa.shtml. Acesso em 20 out 2015.

PASQUINO, Teresa. Serviços da Sociedade de Informação: Tutela dos Dados Pessoais e Regras de Conduta. In: LUCCA, Newton de; SIMÃO FILHO, Adalberto (coord). Direito e Internet: Aspectos Jurídicos Relevantes. Vol. II. São Paulo: Quartier Latin, 2008.

RAMOS, Murilo César. Comunicação, Direitos Sociais e Políticas Públicas. In: PERUZZO, Cicília; BRITTES, Juçara (org). Sociedade da Informação e Novas Mídias: participação ou exclusão?. São Paulo: INTERCOM: 2002.

SANTOS, Manoel J. Pereira dos. Princípios para Formação de um Regime de Dados Pessoais. In: LUCCA, Newton de; SIMÃO FILHO, Adalberto (coord). Direito e Internet: Aspectos Jurídicos Relevantes. Vol. II. São Paulo: Quartier Latin, 2008.

SEGURADO, Rosemary; LIMA, Carolina Silva Mandú de; AMENI, Cauê S. Regulamentação da Internet: perspectiva comparada entre Brasil, Chile, Espanha, EUA e França. [S. l]: Scielo: 2014. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/hcsm/2014nahead/0104-5970-hcsm-S0104-59702014005000015.pdf. Acesso em 3 nov. 2015.

SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 34 ed. São Paulo: Malheiros, 2011.

SILVEIRA, Sergio Amadeu. Cidadania e redes digitais = Citizenship and digital networks. 1a ed. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil : Maracá – Educação e Tecnologias, 2010.


Texto completo: PDF

DOI: 10.17808/des.52.835

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Direito, Estado e Sociedade

ISSN: 1516-6104