Abuso de direitos fundamentais na teoria estruturante do direito: a partir do "caso do pintor no cruzamento"

Fabio Carvalho de Alvarenga Peixoto

Resumo


A pesquisa trata da adequação da noção de abuso de direitos fundamentais à teoria estruturante do direito, de Friedrich Müller. Muito embora tanto a teoria interna, de Müller, como a teoria externa, de Robert Alexy, rejeitem a noção de abuso de direitos fundamentais – indicando que não há espaço para ela, na dogmática dos direitos fundamentais –, essa encontra-se expressa no texto da Constituição brasileira e foi adotada pelo Supremo Tribunal Federal. Investigam-se, com abordagem qualitativa bibliográfica e documental, os fundamentos específicos da aversão da noção pela teoria estruturante, dita interna. Parte-se da crítica dirigida por Alexy à dogmática do âmbito da liberdade de arte enunciada por Müller, em especial à solução dada no caso do pintor no cruzamento; analisa-se a crítica dirigida por Müller à concepção de abuso de direitos fundamentais de Hans-Ulrich Gallwas; testa-se a hipótese de abertura dogmática da teoria estruturante a concepção de abuso de direitos fundamentais distinta. Conclui-se que a rejeição da noção pela teoria estruturante somente se refere à concepção de Gallwas; e que o abuso de direitos fundamentais, entendido como incongruência entre uma aparência de direito decorrente da interpretação de textos jurídicos e o conteúdo real do direito, não é aprioristicamente incompatível com a teoria estruturante.

(The research deals with the adequacy of the notion of abuse of fundamental rights to the Friedrich Müller’s structuring theory of law. Although both Müller's internal theory and Robert Alexy's external theory reject the notion of abuse of fundamental rights - indicating that there is no room for it in the fundamental rights’ dogmatic - it is expressed in the text of Brazilian Constitution and was adopted by the Federal Supreme Court. The specific foundations of the aversion of the notion to the structuring theory, so-called internal, are investigated with a bibliographic and documental qualitative approach. It starts from the criticism directed by Alexy to the dogmatic of the scope of the freedom of art enunciated by Müller, in particular to the solution given in the case of the painter at the crossing; Müller's criticism of Hans-Ulrich Gallwas's conception of abuse of fundamental rights is analyzed; the hypothesis of a dogmatic opening of the structuring theory is tested to a distinct conception of abuse of fundamental rights. It is concluded that the rejection of the notion by the structuring theory only refers to Gallwas's conception; and that the abuse of fundamental rights, understood as incongruity between an appearance of law resulting from the interpretation of legal texts and the actual content of the law, is not a priori incompatible with the structuring theory.)


Palavras-chave


abuso de direitos fundamentais; teoria estruturante do direito; dogmática do âmbito normativo; liberdade de arte (abuse of fundamental rights; structuring theory of law; dogmatic of the normative scope; freedom of art)

Referências


ALEMANHA. Bundesverfassungsgericht. BVerfGE 67, 213. 17 jul. 1984. Disponível em: . Acesso em: 18 de abr. 2020.

ALEMANHA. Grundgesetz für die Bundesrepublik Deutschland. Berlim [Alemanha]: Bundesministerium der Justiz und für Verbraucherschutz, 1949. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2020.

ALEXY, Robert. Conceito e validade do direito. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

ALEXY, Robert. Teoria da argumentação jurídica: a teoria da argumentação racional como teoria da fundamentação jurídica. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2017.

ALEXY, Robert. Teoria dos Direitos Fundamentais. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Presidência da República, 1988. Disponível em: . Acesso em: 1 maio 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Primeira Turma). Rcl 28.747 AgR. [...]. Agravante: Marcelo José Cruz Auler. Agravado: Erika Mialik Malena. Relator: Min. Luiz Fux. Brasília, 5 jun. 2018. Diário da Justiça, 9 nov. 2018. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Segunda Turma). AI 675.276 AgR. [...]. Agravante: Ricardo Terra Teixeira. Agravado: José Carlos Amaral Kfouri. Relator: Min. Celso de Mello. Brasília, 22 jun. 2010. Diário da Justiça, 13 abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Segunda Turma). AI 705.630 AgR. [...]. Agravante: Francisco José Rodrigues de Oliveira Filho. Agravado: Claudio Humberto de Oliveira Rosa e Silva. Relator: Min. Celso de Mello. Brasília, 22 mar. 2011. Diário da Justiça, 5 abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Segunda Turma). RE 840.718 AgR. [...]. Agravante: SAESP. Agravado: FJMS. Relator: Min. Edson Fachin. Brasília, 10 set. 2018. Diário da Justiça, 17 set. 2018. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Tribunal Pleno). ADI 4815. [...]. Requerente: Associação Nacional dos Editores de Livros. Relatora: Min. Carmen Lúcia. Brasília, 10 jun. 2015. Diário da Justiça, 29 jan. 2016. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Tribunal Pleno). ADPF 130. [...]. Arguente: Partido Democrático Trabalhista. Arguido: Presidente da República e Congresso Nacional. Relator: Min. Carlos Britto. Brasília, 30 abr. 2009. Diário da Justiça, 5 nov. 2009. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Tribunal Pleno). HC 82.424. [...]. Paciente: Siegfried Ellwanger. Coator: Superior Tribunal de Justiça. Relator: Min. Moreira Alves. Relator para o acórdão: Min. Maurício Corrêa. Brasília, 17 set. 2003. Diário da Justiça, 19 mar. 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Tribunal Pleno). RE 511.961. [...]. Recorrentes: Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Estado de São Paulo e Ministério Público Federal. Recorridos: União e Federação Nacional dos Jornalistas. Relator: Min. Gilmar Mendes. Brasília, 17 jun. 2009. Diário da Justiça, 12 nov. 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 ago. 2019.

CORDEIRO, António Manuel da Rocha e Menezes. Da boa fé no Direito Civil. Coimbra [Portugal]: Almedina, 1987.

GALLWAS, Hans-Ulrich. Der Mißbrauch von Grundrechten. Berlim [Alemanha]: Duncker & Humblot, 1967.

GLAESER, Walter Schmitt. Hans-Ulrich Gallwas: Der Mißbrauch von Grundrechten. Archiv des öffentlichen Rechts, Vol. 95, N.° 2, pp. 320-4, 1970.

KNÖDLER, Christoph. Mißbrauch von Rechten, selbstwidersprüchliches Verhalten und Verwirkung im öffentlichen Recht. Herbolzheim [Alemanha]: Centaurus, 2000.

MENDES, Gilmar Ferreira, COELHO, Inocêncio Mártires, BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2007.

MÜLLER, Friedrich. Freiheit der Kunst als Problem der Grundrechtsdogmatik. Berlim [Alemanha]: Duncker & Humblot, 1969.

MÜLLER, Friedrich. Juristische Methodik, Band I: Grundlegung für die Arbeitsmethoden der Rechtspraxis. 11. Auf. Berlim [Alemanha]: Duncker & Humblot, 2013.

MÜLLER, Friedrich. La positividad de los derechos fundamentales: cuestiones para una dogmática práctica de los derechos fundamentales. Madri [Espanha]: Dykinson, 2016.

MÜLLER, Friedrich. Métodos de trabalho no direito constitucional. 3. ed. rev. e ampliada. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

MÜLLER, Friedrich. O novo paradigma do direito: introdução à teoria e metódica estruturantes. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

MÜLLER, Friedrich. Recht – Sprache – Gewalt: Elemente einer Verfassungstheorie I. 2. Auf. Berlim [Alemanha]: Duncker & Humblot, 2010.

MÜLLER, Friedrich. Teoria Estruturante do Direito, v. I. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.

NOVAIS, Jorge Reis. As Restrições aos Direitos Fundamentais Não Expressamente Autorizadas pela Constituição. 2. ed. Coimbra (Portugal): Coimbra, 2010.

OLIVEIRA, Rafael Tomaz. Decisão judicial e o conceito de princípio: a hermenêutica e a (in)determinação do direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2008.

ROVIRA VIÑAS, Antonio El abuso de los derechos fundamentales. 1980. Tese (Doutorado em Direito) – Universidad Autónoma de Madrid, Madri (Espanha), 1980.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

SILVA, Virgílio Afonso da. Princípios e regras: mitos e equívocos acerca de uma distinção. Revista Latino-Americana de Estudos Constitucionais, Belo Horizonte, n. 1, p. 607-30, jan./jun. 2003.

STEINMETZ, Wilson Antônio. Colisão de direitos fundamentais e princípio da proporcionalidade. 2000. Dissertação (Mestrado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade Federal do Paraná, 2000.

STRUTH, Anna Katharina. Hassrede und Freiheit der Meinungsäußerung: Der Schutzbereich der Meinungsäußerungsfreiheit in Fällen demokratiefeindlicher Äußerungen nach der Europäischen Menschenrechtskonvention, dem Grundgesetz und der Charta der Grundrechte der Europäischen Union. Berlim [Alemanha]: Springer, 2019.

WIEDMANN, Elke. Der Rechtsmissbrauch im Markenrecht. 2002. Tese (Doutorado em Direito) – Universität Konstanz, Constança [Alemanha], 2002.

XEREZ, Rafael Marcílio. Dimensões da Concretização dos Direitos Fundamentais: Teoria, Método, Fato e Arte. 2012. Tese (Doutorado em Direito Público) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2012.


Texto completo: PDF

DOI: 10.17808/des.0.1605

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Direito, Estado e Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN: 1516-6104