A presença dos refugiados do século XXI no Brasil: uma leitura da xenofobia a partir do discurso da crise econômica

Arnelle Rolim Peixoto, Camilla Martins Cavalcanti, Kananda Beatriz Pinto de Sena

Resumo


Objetivou-se analisar se o discurso da crise econômica brasileira fomenta a xenofobia aos refugiados acolhidos pelo país no século XXI. Assim sendo, o artigo dividiu-se em duas etapas. Inicialmente, expôs-se o contexto migratório do século XXI, com a explanação do amparo legal internacional e nacional voltado para a questão do refúgio. Em seguida, apresentou-se a possibilidade de o discurso da crise econômica ser fomentador da xenofobia. A pesquisa contou com metodologia do tipo bibliográfica, pura, de natureza qualitativa, com fins descritivos e exploratórios, mediante a análise legislativa e dos dados do Comitê Nacional para Refugiados (CONARE), bem como do Instituto Brasileiro de geografia (IBGE), dos quais foram resultados gráficos. Com isso, conclui-se que o discurso da “crise econômica” é um estimulador de condutas xenofóbicas, devendo tais comportamentos ser combatidos com eficiência para que, assim, sejam garantidos os direitos humanos dos refugiados no Brasil.


Palavras-chave


direitos humanos dos refugiados; crise econômica; xenofobia

Referências


AGÊNCIA DA ONU PARA REFUGIADOS (ACNUR). Número de pessoas deslocadas no mundo chega a 70,8 milhões, diz ACNUR. Nações Unidas do Brasil – home page. 2019.

Disponível em: https://nacoesunidas.org/numero-de-pessoas-deslocadas-no-mundo-chega-a-708-milhoes-diz-acnur/ Acesso: 10 out. 2019.

ALCARAZ, Antonia Olmos. Alteridad, migraciones y racismo en redes sociales virtuales: un estudio de caso en Facebook. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana -REMHU. Brasília, v.26, n. 53, p. 41-60, ago. 2018, https://doi.org/10.1590/1980-85852503880005304.

ALMEIDA, Guilherme de Assis. A Lei 9474/97 e a definição ampliada de refugiado: breves considerações. In: ALMEIDA, Guilherme de Assis; ARAUJO, Nadia (org). O direito internacional dos refugiados no Brasil: uma perspectiva brasileira. Rio de Janeiro: Renovar, 2001, p.155-168.

BAGGIO, Roberta Camineiro; NASCIMENTO, Daniel Braga. Do Estatuto do Estrangeiro à nova Lei de Migração no Brasil: breves apontamentos. In: MEJÍA, Margarita Rosa Gaviria (org). Migrações e direitos humanos: problemática socioambiental. Disponível em: http://www.abep.org.br/site/index.php/noticias/1050-publicacao-migracoes-e-direitos-humanos-problematica-socioambiental. Acesso em: 10 out 2018.

BIBLI-ASPA. Quem somos. Disponível em: . Acesso em: 04 nov. 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 20 out. 2019.

______. Lei nº 9.474, de 22 de julho de 1997. Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências. Brasília, DF: Senado, 1997. Disponível em: http:/www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9474.htm. Acesso em: 10 out. 2018.

______. Lei n° 13.445/17, de 24 de maio de 2017. Institui a Lei de Imigração. Brasília, DF: Senado, 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13445.htm. Acesso em: 10 out. 2018.

CAVALCANTI, Leonardo; OLIVEIRA, Tadeu; MACEDO, Marília (org.). Imigração e Refúgio no Brasil. Relatório Anual 2019. Série Migrações. Observatório das Migrações Internacionais; Ministério da Justiça e Segurança Pública: Conselho Nacional de Imigração e Coordenação Geral de Imigração Laboral: Brasília, 2019.

CEREIJIDO, Fanny Blanck. O olhar sobre o estrangeiro. Ide Psicanálise e Cultura, São Paulo, v. 31, n. 47, p. 61-65, 2008. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-31062008000200010&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 nov. 2019.

COSTA, Érica Nadir Monteiro de Vasconcelos; PEIXOTO, Arnelle Rolim. O processo de integração dos refugiados através da educação: um estudo de caso na cidade de Fortaleza. In: ANNONI, Danielle (coord.). Direito Internacional dos Refugiados e o Brasil. Curitiba: Gedai/UFPR, 2018, p. 517-535.

COSTA, Nayara Belle Nova da. Migrações Internacionais e Refúgio no Brasil entre 2000 e 2014: uma análise espaço-temporal. 2016. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Geografia, Universidade de Brasília, Brasília, 2016. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/22527. Acesso em: 28 out. 2019.

D`ANCONA, Maria A. Cea. La exteriorización de la xenofobia. Revista Española de Investigaciones Sociológicas-REIS, Madrid, n. 112, 2005 pp. 197-230. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=1958514. Acesso em: 04 nov. 2019.

FARAH, Paulo Daniel. Combates à xenofobia, ao racismo e à intolerância. Revista USP, São Paulo, n. 114, 2017, pp. 11-30. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/index. Acesso em: 04 nov. 2019.

FRANÇA, Rômulo Ataides; RAMOS, Wilsa Maria; MONTAGNER, Maria Inez. Mapeamento de políticas públicas para os refugiados no Brasil. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 19, 2019. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revispsi/article/view/43008/29657. Acesso em: 04 nov. 2019.

GABORIT, Mauricio. La construcción social de la persona migrante como enemigo. In: GARCÍA, Carlos Sandoval (edit). Puentes, no muros. Contribuiciones para una política progresista en migraciones. Buenos Aires: Clacso, 2020, p.1-24.

GALLEGOS, Jacques Ramírez. De la era de la migración al siglo de la seguridad: el surgimento de “políticas de control con rostro (in)humano”. Revista Latinoamericana de Estudos de Seguridad-URVIO, Quito, n.23, pp. 10-28, 2018, http://dx.doi.org/10.17141/urvio.23.2018.3745

GÁLVEZ, Javier Álvarez. Inmigración e imágenes mediáticas: análisis cualitativo de la autopercepción de los inmigrantes. Revista Mediaciones Sociales, Madrid, n.6, 2010, pp. 93 -119. Disponível em: https://revistas.ucm.es/index.php/MESO/article/view/MESO1010120093A . Acesso em: 02 nov. 2019.

HAASVISTO, Richard. Afrontar las causas radicales de la xenofobia. Valorando la diferencia. Servicio Jesuita a Refugiados –JRS, Italia, n. 45, dic 2008, p. 1-12. Disponível em: https://jrsea.org/assets/Publications/File/serv45es.pdf. Acesso em: 05 abr. 2020

HOBBES, Thomas. Leviatã. Tradução: João Paulo Monterio e Maria B. Nizza da Silva. 2. ed. São Paulo: Abril, 2000.

KISSINGER, Henry. Ordem mundial. Tradução Cláudio Figueiredo. Rio de Janeiro: objetiva, 2015.

LEVY, Jaques. Os novos espaços da mobilidade. Geographia, Rio de Janeiro, v. 3, n.6., 2001.

LIMA, João Brígido Bezerra et al. Refúgio no Brasil: caracterização dos perfis sociodemográficos dos refugiados (1998-2014). Brasília: IPEA, 2017.

LUIZ, Caio. Além da fome, venezuelanos enfrentam xenofobia. Jornal Destak. 2019. https://www.destakjornal.com.br/mundo/detalhe/alem-da-fome-venezuelanos-enfrentam-xenofobia. Acesso: 28 out. 2019.

MARTÍNEZ, Laura Bustos et al. Discursos de odio: una epidemia que se propaga en la red. Estado de la cuestión sobre el racismo y la xenofobia en las redes sociales. Mediciones Sociales, Madrid, v. 18, p. 25-42, 2019, https://doi.org/10.5209/meso.64527

MILESI, Rosita. Por uma nova Lei de Migrações: a perspectiva dos direitos humanos. In: GODINHO, Luiz Fernando; FREIRE JÚNIOR, Newton (coord.). Refúgio, Migrações e Cidadania: Caderno De Debates 2. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2018/02/Caderno-de-Debates-02_Ref%C3%BAgio-Migra%C3%A7%C3%B5es-e-Cidadania.pdf. Acesso em: 04 nov. 2019.

MURILLO, Juan Carlos. Os legítimos interesses de segurança dos Estados e a proteção internacional de refugiados. Sur, Rev. Int. Direitos Human. [s.l.], v. 6, n. 10, p.120-137, jun. 2009. Semanal. FapUNIFESP (SciELO), https://doi.org/10.1590/S1806-64452009000100007.

PITA, Agni Castro. Direitos Humanos e Direito Internacional dos refugiados. In: GEDIEL, José Antônio Peres; GODOY, Gabriel Gualano de (org.). Refúgio e hospitalidade. Curitiba: Kairós Edições, 2016.

PIZARRO, Jorge Martínez; FINARDI, Leandro Reboiras; CONTRUCCI, Magdalena Soffia. Los derechos concedidos: crisis econômica mundial y migración mundial. CEPAL: Santiago de Chile, 2009. Disponível em: https://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/7231/1/S0900836_es.pdf. Acesso em: 10 mar. 2020

PRONI, Marcelo Weishaupt; PRONI, Thaís Tamarindo da Rocha Weishaupt. O papel civilizatório dos direitos humanos: diálogo com Bobbio e Elias. Direito, Estado e Sociedade, Rio de Janeiro, n.51, p. 161-194, jul/dez 2017, https://doi.org/10.17808/des.51.921.

RODRIGUES, G. M. A; SALA, J. B; SIQUEIRA, D. C. Refugiados Sírios no Brasil. Políticas de proteção e integração. BAENINGER, Rosana et al (org.). Migrações Sul-Sul. 2. ed. Campinas: Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” – Nepo/Unicamp, 2018. p. 309-324.

SARAIVA, Adriana. Desemprego fica em 11,8%, com recorde no emprego sem carteira. Portal Agência IBGE Notícias, 31 out. 2019. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/25815-desemprego-fica-em-11-8-com-recorde-no-emprego-sem-carteira. Acesso: 29 out. 2019.

SERRICELLA, Giulianna Silva. Globalização e Refúgio: os refugiados congoleses na cidade do Rio de Janeiro como exemplo dessa relação complexa. Dissertação (Mestrado em Geografia) –Departamento de Geografia e Meio Ambiente, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro,2016.

SIMÕES, Bárbara Bruna de Oliveira; RUDNICKI, Dani; COSTANZA, Graziele Silva; MARTINI, Sandra Regina. Migrações: fraternidade e xenofobia na sociedade cosmopolita. Revista Em Tempo, v. 17, 2018, p. 248 – 269. Disponível em: https://revista.univem.edu.br/emtempo/article/view/2616. Acesso em: 04 nov. 2019.

VILLA, Hernando Valencia. Diccionario Derechos Humanos. Madrid: Esparsa, 2003.


Texto completo: PDF

DOI: 10.17808/des.0.1493

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Direito, Estado e Sociedade

ISSN: 1516-6104