A liberdade republicana e a necessidade de limitação do narcisismo pela interferência sem dominação

Vinicius Scarpi

Resumo


Toda teoria política parte de uma concepção antropológica que lhe serve de alicerce. Neste sentido, o republicanismo pensa o homem como um animal político ou, em outras palavras, como um animal social que se constrói sempre na presença de outros indivíduos. Dessa forma, partindo da intersubjetividade e o do erotismo como aspectos não apenas necessários, mas como fatores positivos na formação das subjetividades, defende-se no artigo um conceito de liberdade que se atualiza num contexto social e que prescreve a necessidade de limitação do narcisismo como condição para a construção de uma sociedade livre de dominação.

Palavras-chave


Republicanismo; intersubjetividade; erotismo; liberdade; narcisismo; não-dominação.

Texto completo: PDF

DOI: 10.17808/des.27.321

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Direito, Estado e Sociedade

ISSN: 1516-6104