Globalização e intimidade: o risco biotecnológico e seus reflexos sobre o mundo do trabalho

Marcelo Barroso Kümmel, Rosane Leal da Silva

Resumo


O trabalho discute os riscos da alta modernidade, caracterizada pela globalização, pela individualização e reflexividade. Em especial discute-se o risco biotecnológico e seus impactos sobre o mundo do trabalho, destacando-se a atuação da UNESCO, através da Declaração Universal sobre os Dados Genéticos, que prevê expressamente a proteção ao trabalhador, ao determinar a confiabilidade dos dados genéticos, de forma a evitar que o acesso às informações, por parte do empregador, sirva como elemento de discriminação, violando a intimidade do mesmo, e impeça o acesso aos postos de trabalho. A partir do texto deste compromisso internacional pretende-se divulgar importante assunto, ainda pouco discutido pela comunidade jurídica, possibilitando, também, que esta forma de discriminação seja divulgada entre os trabalhadores e combatida por aqueles que atuam na área, o que somente ocorrerá a partir da identificação do risco e discussão dos seus efeitos.

Palavras-chave


Globalização; Intimidade; Sociedade de risco; UNESCO; trabalhador

Texto completo: PDF

DOI: 10.17808/des.37.198

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Direito, Estado e Sociedade

ISSN: 1516-6104