Criminalidade, desigualdade social e penalização de adolescentes e jovens

Vicente de Paula Faleiros

Resumo


Resumo: Este artigo tem por objetivo analisar as relações entre a estrutura da desigualdade social, a delinquência juvenil, a violência e o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo- Sinase -Lei 12.594 de 18/01/2012. A metodologia consistiu em coleta de dados secundários com análise de profundidade, em revisão narrativa, do contexto da criminalidade e do sistema penal socioeducativo. Os resultados mostram a ausência de condições de vida, a discriminação e retração do Estado no neoliberalismo de forma articulada com a significativa perpetração de violência letal contra adolescentes e jovens da periferia e negros e a inserção no sistema de punição, com a predominância da privação de liberdade. Como conclusão, considera-se que adolescentes e jovens envolvidos nas infrações penais e vítimas de homicídio são multidimensionalmente punidos ou penalizados como vítimas do descaso e da violência do Estado, da negação da cidadania e de direitos, bem como da desigualdade socioeconômica, de aliciamento pelo crime organizado, da incriminação penal e do sistema de controle policial da população excluída e periferizada. O fortalecimento do Estado policial/penal e o rebaixamento da inimputabilidade vão na direção contrária à prevenção a ser efetivada por uma política de educação em tempo integral e de inclusão da diversidade na ótica dos direitos humanos e de acesso ao trabalho digno.

Palavras-chave: fabricação da criminalidade, penalização de adolescentes, sistema socioeducativo, desigualdade social.

 

Abstract: This article aims to analyze the relationships between the structure of social inequality, juvenile delinquency, violence and the National System of Social and Educational Assistance - Sinase - Law 12,594 of 18/01/2012. The methodology consisted of collecting secondary data with depth analysis with narrative review of the context of crime and the socio-educational penal system. The results show the absence of living conditions, the discrimination and retraction of the State in neoliberalism in an articulated way with the significant perpetration of lethal violence against adolescents and young people from the periphery and blacks and the insertion in the punishment system, with the predominance of the deprivation of freedom. As a conclusion, it is considered that adolescents and young people involved in criminal offenses and victims of homicide are multidimensionally punished or penalized as victims of neglect and violence by the State, denial of citizenship and rights, as well as socioeconomic inequality, enticement by organized crime, criminal incrimination and the police control system of the excluded and peripheral population. The strengthening of the police / penal state and the reduction of non-accountability go in the opposite direction to the prevention to be carried out by a policy of full-time education and the inclusion of diversity from the perspective of human rights and access to decent work.

Keywords: prodution of the crime, penalty of adolescents, socio-educational system, social inequality.

 


Palavras-chave


fabricação da criminalidade; penalização de adolescentes; sistema socioeducativo; desigualdade social

Referências


ALTHUSSER, Louis. Posições 2. Aparelhos ideológicos do Estado. 1ª ed. Rio de Janeiro:

Graal, 1980.

ATHAYDE, Celso; MV Bill. Falcão – meninos do tráfico. 1ª ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2006.

BARATTA, Alessandro. Criminología crítica y crítica del derecho penal. 1ª ed, 8ª reimpressão. México: Siglo Veintiuno, 2009.

BARCELLOS, Caco. Rota 66 – a história da polícia que mata. 1ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2003.

BEATO, Cláudio C; PEIXOTO, Betânia Totino. Há nada certo. Políticas sociais e crime em espaços urbanos. In: SENTO-SÉ, João Trajano. Prevenção da violência- o papel das cidades. 1ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005, p.163-202.

BRASIL. Levantamento Anual SINASE- 2016. Brasília. Secretaria Nacional MMDH-2019. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/navegue-por-temas/criança-e- adolescente/Levantamento_2016Final.pdf.

BRASIL. Ministério dos Direitos Humanos (MDH).

Levantamento anual Sinase 2016. Brasília: Ministério dos Direitos Humanos, 2018. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/navegue-por-temas/crianca-e-adolescente/Levantamento_2016Final.pdf

BUDÓ, Marília de Nardin. Modernizar se conjuga no pretérito: a privação de liberdade de adolescentes no discurso legislativo brasileiro. In: Direito, Estado e Sociedade, n.46 p. 223 a 267 jan/jun 2015. Disponível em: http://direitoestadosociedade.jur.puc-rio.br/media/Artigo8_46.pdf

CALIMAN, Geraldo. Desvio social e delinquência juvenil. 1ª ed. Brasília: Universa, 2006.

CEPAL. Panorama social de América Latina. Santiago - LC/PUB.2019/3-PISBN: 978921122008731.Santiago: Editorial CEPAL, Janeiro 2019. Disponível em: https://www.cepal.org/pt-br/publicaciones/ps

CIFALI, Ana Claudia. As disputas pela definição da justiça juvenil no brasil: atores, representações sociais e racionalidades. Tese de doutorado. PUC-RS, 2019. Disponível em http://tede2.pucrs.br/tede2/bitstream/tede/8884/2/ANA%20CLAUDIA%20-%20Tese%20Ana%20Cifali%20entrega%20pdf.pdf. Acesso em 20/01/2020.

CODEPLAN - Companhia de Planejamento do Distrito Federal. Perfil e percepção social dos adolescentes em medida socioeducativa no Distrito Federal. Brasília: CODEPLAN - Secretaria da Criança- 2013. Disponível em: http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/Perfil-e-percepção-social-dos-adolescentes-em-medida-socioeducativa-no-Distrito-Federal.pdf.

DUARTE, Joana das Flores. Meninas e território- criminalização da pobreza e seletividade jurídica. 1ª ed. São Paulo: Cortez, 2018.

DUBAR, Claude. Os ¨ensinamentos¨ dos enfoques sociológicos da delinquência juvenil In PAIVA, Vanilda; SENTO-SÉ, João Trajano.(Orgs) Juventude em Conflito com a Lei. 1ª ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2007, p.107-180

DURKHEIM, Emílio. Las reglas del método sociológico. 2ª ed. Buenos Aires: Schapire, 1969, p. 62

ESPEZIM DOS SANTOS, D. M., & VERONESE, J. R. P. (2019). A proteção integral e o enfrentamento de vulnerabilidades infantoadolescentes. Revista De Direito, 10(02), 109-157. https://doi.org/10.32361/20181022056

FALEIROS, Vicente de Paula. Globalização, correlação de forças e serviço social. 1ª ed. São Paulo, Cortez, 2013.

FALEIROS, Vicente de Paula. Impunidade e inimputabilidade, In: Serviço social & sociedade, Vol, 24 n. 77, p.78-97, março 2004.

FALEIROS, Vicente de Paula. Infância e processo político no Brasil. IN; RIZZINI, I.; PILOTTI, F. A arte de governar crianças. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2009b.

FALEIROS, Vicente de Paula. Uma experiência de supervisão na área psicossocial: desafios teórico-práticos. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 258-267, jan. 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2019. doi:https://doi.org/10.1590/S1414-49802009000200016.

FALEIROS, Vicente de Paula. Violência contra a pessoa idosa: ocorrências, vítimas e agressores. 1ª ed. Brasília: Universa, 2007.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. 1ª ed. Rio de Janeiro, Graal, 1977

GUIMARÃES, Maria Tereza Canezin; SOUZA, Sônia M. Gomes. (Orgs). Juventude e contemporaneidade - desafios e perspectivas. 1ª ed. Brasília: Secretaria Especial de Direitos Humanos, 2009.

IBGE. Indicadores sociais. 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/media/com_mediaibge/arquivos/ce915924b20133cf3f9ec2d45c2542b0.pdf.

IPEA. Atlas da violência, 2019. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatorio_institucional/190605_atlas_da_violencia_2019.pdf.

LARRAURI, Elena. La herencia de la criminología crítica. 3ª ed. Madri: Siglo Veintiuno, 2000.

MARTINS, Francisco. Violência e “ninguenidade”. IN SOUZA, Mériti; ARAÚJO, José Nilton Garcia de. Dimensões da violência. 1ª ed. São Paulo: Casa do psicólogo, 2011, pp. 35-56.

MARX, Karl. Sobre o Suicídio. 1ª ed. São Paulo: Boitempo, 2006.

MERTON, Robert K. Sociologia - teoria e estrutura. 1ª ed. São Paulo: Mestre Jou, 1970.

ROSA Gabriel Artur Marra e.; SANTOS, Benedito Rodrigues dos; FALEIROS Vicente de Paula. Opacidade das fronteiras entre real e virtual na perspectiva dos usuários do Facebook. In Psicologia USP. 2016, volume 27, número 2 p. 263-272. http://dx.doi.org/10.1590/0103-656420130026

SILVA, Enid Rocha Andrade da; OLIVEIRA, Raissa Menezes de. O Adolescente em Conflito com a Lei e o Debate sobre a Redução da Maioridade Penal: esclarecimentos necessários. Brasília: IPEA Nota Técnica n. 20, 2015. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/nota_tecnica/150616_nt_maioridade_penal.pdf.

SOARES, Luiz Eduardo. Desmilitarizar: segurança e direitos humanos. 1ª ed. São Paulo: Boitempo, 2019.

SOUSA, Sônia M. Gomes (Org.) Adolescentes autores de atos infracionais. 1ª ed. Goiânia: PUC- Goiás- 2013

SOUZA, Edinilsa Ramos de; PERES, Maria Fernanda Tourinho; CONSTANTINO, Patrícia; BOGHOSSIAN, Cynthia Ozon, RUOTTI, Caren; FREITAS, Taís Viudes; VICENTIN, Diego. Jovens em risco social – avaliação de programas de prevenção à violência armada. 1ª ed. Brasília: Ministério da Saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz; São Paulo: Hucitec, 2013.

TERRA, Cilene; AZEVEDO, Fernanda. Adolescente, ato infracional e serviço social no Judiciário. 1ª ed. São Paulo: Cortez, 2018

TRAUBE, Patrick. Violences: côté face, côté profil. 1ª ed. Paris: ODIN, 2002.

WACQUANT, Loïc. Os condenados da cidade. 1ª ed. Rio de Janeiro: Revan; FASE, 2001.


Texto completo: PDF

DOI: 10.17808/des.0.1368

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Direito, Estado e Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN: 1516-6104